Greve de metroviários em 5 cidades teve pouco impacto, diz CBTU

Greve de metroviários em 5 cidades teve pouco impacto, diz CBTU

REYNALDO TUROLLO JR.
DE SÃO PAULO

O presidente da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Metropolitanos, ligada ao Ministério das Cidades), Francisco Colombo, disse à reportagem no final da tarde desta terça-feira que a greve dos trabalhadores de trens e metrôs em cinco capitais brasileiras afetou pouco os passageiros.

Isso porque, segundo ele, os sindicatos mantiveram os trens em operação nos horários de pico. Os grevistas, ao contrário, afirmam que a população sentiu o impacto.

Em Recife, Natal, João Pessoa e Maceió a paralisação começou à 0h desta terça-feira. Já em Belo Horizonte, os trabalhadores pararam na segunda-feira (14).

“A greve foi de forma razoável, deu para atender bem à população. Estou otimista que vamos conseguir sensibilizar parte do conselho [da CBTU] para chegar a um bom termo”, disse Colombo, que estava em uma reunião em Brasília para tratar das reivindicações por volta das 18h.

Segundo ele, a estatal ofereceu “reajuste zero” neste ano porque, no ano passado, já concedeu 6,4% aos trabalhadores, entre outros benefícios.

NOVA REUNIÃO

A greve está mantida para os próximos dias, afirmam os sindicatos da categoria.

Em Belo Horizonte, representantes do Sindmetro-MG (sindicato dos trabalhadores de empresas de transportes metroviários do Estado) vão se reunir com a CBTU na próxima segunda-feira (21), na sede do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), para tentar avançar nas negociações.

Segundo o vice-presidente da entidade mineira, Romeu José Machado Neto, eventuais propostas que surgirem em Minas serão estendidas aos trabalhadores das outras capitais.

BALANÇO DO 1º DIA

Em Belo Horizonte e em Recife, que têm os maiores sistemas de metrô, os trens só estão funcionando nos horários de pico –das 5h20 às 8h30 e das 17h às 19h30, na capital mineira, e das 5h às 9h e das 16h às 20h na pernambucana. No restante do dia não há viagens.

Nas outras três cidades, o sistema opera em horário normal, mas faz apenas 30% das viagens. O mesmo esquema deverá ser mantido nesta quarta-feira (16), já que os sindicatos disseram que não receberam nenhuma nova proposta da CBTU neste primeiro dia de greve.

Eles exigem 5,1% de reajuste (reposição da inflação), além de gratificação de desempenho pelo aumento dos passageiros transportados, pagamento integral de plano de saúde e adicional noturno de 50%. As reivindicações principais são as mesmas nas cinco cidades.

De acordo com o sindicato de João Pessoa, o salário-base inicial de um empregado da CBTU é de cerca de R$ 980.

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1090898-greve-de-metroviarios-em-5-cidades-teve-pouco-impacto-diz-cbtu.shtml

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *