Famílias de baixa renda encerram 2011 com inflação em 5,98%

Famílias de baixa renda encerram 2011 com inflação em 5,98%

 

Pesquisa divulgada nesta terça-feira (10) pela Fundação Getúlio Vargas informa que o Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) – que mede a inflação para as famílias com rendimentos mensais de até 2,5 salários mínimos -, chegou a 1% em dezembro de 2011 e fechou o ano com alta acumulada de 5,98%

 

A pesquisa ainda apresenta que o resultado alcançado em 2011 superou a taxa do Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR) – que mede a inflação para o conjunto de famílias com rendimentos de até 40 salários mínimos. Foi registrado que no acumulado do ano o IPC-C1 ficou abaixo do IPC-BR em 6,36%.

 

A pesquisa também apresentou os itens que mais pesaram no bolso do consumidor. Das sete classes avaliadas, quatro apresentaram alta no índice: alimentação (de 0,63% para 1,74%), com destaque para arroz e feijão (-1% para 3,59%); vestuário (de 1,27% para 1,51%), principalmente roupas (1,34% para 1,53%); saúde e cuidados pessoais (de 0,49% para 0,79%), especialmente artigos de higiene e cuidado pessoal (0,76% para 1,29%); e educação, leitura e recreação (de 0,28% para 0,77%), com a influência de material escolar e livros em geral (-0,15% para 0,58%).

 

Contudo, a pesquisa aponta que houve uma diminuição no setor de habitação (de 0,43% para 0,42%) e despesas diversas (de 0,37% para 0,21%).

 

Produção

 

De acordo com a estimativa do quarto levantamento da safra 2011/2012 divulgada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta terça-feira (10), a produção de grãos apresentou queda de 0,4%, o referente a 646 mil toneladas. O número é ainda 2,8% menor que o colhido na safra 2010/2011 (162,95 milhões de toneladas).

 

O arroz e feijão,tiveram suas áreas de cultivo reduzidas para 267,3 mil e 147,9 mil hectares, respectivamente. Aproximadamente metade dessa diminuição ocorreu na região Sul do país.

A Conab fez a pesquisa entre os dias 15 e 19 de dezembro passado, com 60 técnicos que ouviram órgãos públicos e privados ligados à produção agrícola nos estados produtores.

 

Com informações da Agência Brasil

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=172917&id_secao=2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *